9 dicas para vender mais no e-commerce |
9 dicas para vender mais no e-commerce

9 dicas para vender mais no e-commerce


Diante do cenário econômico atual, muitos consumidores recorrem ao e-commerce para encontrar a melhor opção de presente para o Dia dos Namorados, a Serasa Experian listou 9 dicas para aumentar o faturamento nesta data, sem deixar a segurança de lado.


De acordo com Juliana Azuma, superintendente de Marketing Services da Serasa Experian, nessas datas comemorativas, as caixas de e-mail dos consumidores são invadidas por milhares de mensagens, mas isso não é o suficiente. “É necessário ter planejamento, segurança e usar técnicas de diferenciação para atrair e agradar clientes em potencial e evitar prejuízos”, explica.


1- Política de preço
Fator preponderante para a decisão de compras, o e-commerce precisa focar no valor do produto para ter sucesso. Com uma solução de precificação inteligente é possível monitorar a concorrência e ter insights sobre as melhores oportunidades de subir ou baixar os preços.


2- Controle interno
Gerenciar vendas e estoque são requisitos primordiais para definir promoções e não perder oportunidades de negócios. Para isso, conte com um bom software de gestão e sistema de backoffice.


3- Atendimento multicanal
Ter um bom relacionamento com o consumidor é essencial. Para isso, é imprescindível estar presente em diversos canais para atender o cliente da forma que ele precisar.


4- Segmente e personalize
O cliente quer customização na hora de receber um e-mail marketing. Então jamais erre o nome dele. Além disso, cuidado para não oferecer produtos inadequados para aquele consumidor.


5- Conecte-se às redes sociais
Os botões de compartilhamento e likes podem aumentar a taxa de cliques nas ofertas enviadas por email em relação às mensagens que não possuem. Pode parecer uma dica óbvia, mas deve ser sempre levada em conta no momento de criar uma nova peça para e-mail marketing.


6- Marketing digital
Não basta montar uma boa estratégia de preço, tecnologia de ponta e canais de atendimento, é preciso trazer o cliente para dentro de casa. Invista em posicionamento, SEO, links patrocinados, redes sociais e e-mail marketing e aumente a chance de sucesso de vendas.


7- Blindagem de segurança
Independentemente do porte do comércio eletrônico, é importante utilizar um certificado digital de servidor para garantir que os dados inseridos na transação (como número do cartão, por exemplo) sejam protegidos por protocolos de segurança SSL (Secure Sockets Layer), que estabelecem uma conexão criptografada na transmissão das informações do consumidor. Lojas que possuem este certificado podem ser identificadas, pois têm o http do endereço acompanhado de um “s” no final (https). Há ainda certificados que ativam um destaque em verde na barra do navegador, sendo facilmente reconhecido pelo visitante do site. Um ambiente seguro gera menos interesse de fraudadores e mais confiança do consumidor.


8- Anti-fraude
Estudo feito pela Serasa Experian apontou que a maioria das fraudes no comércio eletrônico ocorre durante a madrugada, entre 1 hora e 5 horas da manhã. Por isso, instituir o boleto como única forma de pagamento neste período diminui a chance da loja ser vítima de golpes.


9- CPF não basta
No e-commerce, não basta avaliar o risco de fraude apenas com a consulta ao CPF utilizado na compra. É preciso levar em conta outros fatores como o dispositivo utilizado pelo comprador (computador, tablet, smartphone ou TV), cidade, estado e até país de onde vem a compra. Para isso, há ferramentas antifraude específicas que criam regras capazes de apontar fatores suspeitos como, por exemplo, o uso de sites de tradução para realização da compra, que pode indicar fraude internacional. A ferramenta emite um alerta quando o comportamento suspeito é identificado.




Fonte: Portal no Varejo

0 Comentários









Mensagem:


, ,